Maracujá Laboratório de Artes
Projeto: Circulação Nerina - a ovelha negra

O projeto “Circulação Nerina, a ovelha negra” previa inicialmente uma circulação do premiado espetáculo “Nerina – a ovelha negra”, do grupo Maracujá Laboratório de Artes, por 30 CEUs (Centros Unificados de Ensino) da cidade de São Paulo, além de dez apresentações em cinco Teatros Distritais da capital, e uma oficina “Laboratório de Artes Maracujá”, com 15 horas de duração, onde os 30 participantes teriam a oportunidade de experimentar presencialmente as diversas técnicas pesquisadas pela companhia. Complementavam as apresentações do espetáculo a realização de bate papos com o público, onde o elenco poderia conversar diretamente com a plateia, detalhando aspectos do processo de criação, temática, estética, entre outros assuntos. Todas as ações, presenciais, seriam gratuitas.

No entanto, a quarentena imposta pela pandemia do COVID -19 mudou todos os rumos que haviam sido traçados em 2019, e obrigou o grupo a adaptar todas as ações para o formato online.

E é essa a proposta realizada pelo grupo:

Foram 10 apresentações do vídeo do espetáculo “Nerina – a ovelha negra”, vinculadas a programação de Centros Culturais da cidade de São Paulo, seguidas por bate papos em formato live que trouxeram diversos convidados, como o autor e ilustrador Michele Iacocca (autor do livro em que foi baseado o musical Nerina – a ovelha negra”, a diretora musical Fernanda Maia (que fez a direção musical da peça), a cenógrafa e iluminadora Marisa Bentivegna (iluminadora da peça), o diretor da peça e do grupo Maracujá Laboratório de Artes, Sidnei Caria, o elenco do espetáculo, os técnicos, entre vários outros participantes, que discutiram temas diversos ligados à peça. Datas das apresentações na agenda

Além disso, o projeto contou com a produção de um CD com a trilha sonora da peça, que foi distribuída nos streamings de música mais populares.

Para alcançar o público dos CEUs, o projeto optou por uma abordagem que ampliou sua ação inicial: ao invés de atender apenas 30 CEUs com apresentações gratuitas do espetáculo, agora foram atendidas mais de 856 escolas públicas da capital, através da entrega de 900 “kits espetáculo" composto por: CD da trilha da peça (com encarte com letras de música), DVD com duas versões do espetáculo na íntegra e uma publicação criada especialmente para fazer a mediação pedagógica com os professores e alunos, apresentando assuntos que são recorrentes nas conversas com o público infantil após as apresentações, como a história do grupo, quais são as técnicas usadas na peça, como a história foi adaptada, quem fez parte do processo, como foram (e quanto tempo duraram) os ensaios, como foram compostas as músicas, de onde vem a história. Fotos, desenhos, curadoria de livros e publicações sobre teatro, racismo, cultura afro-brasileira, referências musicais usadas para composição de letras e arranjos. E, complementando o material, propostas pedagógicas de atividades inspiradas no espetáculo (teatro de animação, música, teatro físico, brincadeiras com câmeras, luz, entre outras). O CD com a trilha já é uma demanda de instituições, pais e crianças desde a estreia da peça e suas músicas podem ser trabalhadas isoladamente em atividades pedagógicas. Já o DVD com a peça na íntegra propicia a exibição do trabalho aos alunos e a possibilidade do debate sobre o racismo, a linguagem teatral, técnicas, o processo de adaptação do livro para o teatro (que, é importante reforçar, está disponível em diversas instituições educacionais), entre outros assuntos. Este material poderá ser utilizado pelos professores quando e como preferirem, e poderá ser usufruído por muitos anos, ampliando o público que poderá ter acesso a ele. Este material foi entregue á Secretaria Municipal de Educação em 08 de julho de 2021.

Por fim, a oficina “Laboratório de Artes Maracujá” foi realizada de 09 de novembro a 11 de dezembro, segundas e sextas das 19h às 20h30 através da plataforma Google Meet. A cada semana foram desenvolvidas diferentes técnicas experimentadas pela companhia em seus 15 anos de atividades, como o teatro de sombras, stop motion, confecção de bonecos com sobras de materiais e o live animation com puppet toys (uma técnica onde bonecos em miniatura são manipulados em frente às câmeras, que transmitem o resultado ao público, como uma espécie de cinema feito ao vivo, na hora da apresentação). As inscrições se iniciaram em 19 de outubro.

Acesso aos materiais eletrônicos do KIT ESPETÁCULO: linktr.ee/nerinamaracuja

AGENDA

 

Oficina Laboratório de Artes Maracujá

Ministrada por Sidnei Caria e Lucas Luciano

Assistência de Camila Ivo

De 09 de novembro a 11 de dezembro

Segundas e sextas-feiras, de 19h às 20h30 via Google Meet.

Inscrições a partir de 19 de outubro, através do link: https://bit.ly/oficinamaracuja

 

Apresentações em vídeo e lives bate papo

 

21/11 (apresentação vinculada ao Teatro Flávio Império)

11h – vídeo do espetáculo Nerina – a ovelha negra

11h50 – bate papo com o autor Michele Iacocca

Local de transmissão: https://www.facebook.com/maracujaartes

                                    https://www.youtube.com/c/maracujalaboratoriodeartes

                                  

Sobre o autor:

Autor do livro que deu origem ao espetáculo Nerina – a ovelha negra e com mais de 150 livros publicados, Michele Iacocca é um dos principais e mais premiados autores e ilustradores do Brasil. Nascido na Itália, onde deu início aos estudos de literatura clássica, trouxe ao Brasil sua arte cheia de humor e inteligência através de literatura, ilustração, poesia, cartoon, cinema, teatro, tradução e outras manifestações. Como autor tem livros publicados pelas editoras: Ática, Saraiva, Melhoramentos, Moderna, FTD, Positivo, Mercurio Jovem, SM, Global e Tribos. Ganhou o prêmio APCA de autor, ilustrador e tradutor com os livros: “O que fazer?”, “O Barulho da Chuva”, “O Diário Escondido da Serafina” e pelas traduções de Umberto Eco e Gianni Rodari e o original do Pinóquio de Carlo Collodi. Possui diversos livros com o selo Altamente Recomendável” da FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infanto Juvenil) como “O que fazer?”, a “Galinha e a Sombra”, “As aventuras de Bambolina, “Rabisco - um cachorro perfeito” (que também entrou na Lista de Honra do International Board on Books for Young People (IBBY), “Nerina – A Ovelha Negra“ e “A Bola”. Finalista do prêmio Jabuti com o livro “Soltando o Som”.

 

 

21/11 (apresentação vinculada ao Centro de Culturas Negras)

16h – vídeo do espetáculo Nerina – a ovelha negra

16h50 – bate papo: Jovens artistas pretxs e a representatividade negra na arte.

Com os atores: Bia Sabiá, Eder dos Anjos, Renan Vinícius e Yasmin Olí.

Local de transmissão: https://www.facebook.com/maracujaartes

                                    https://www.youtube.com/c/maracujalaboratoriodeartes

                                  

 

No bate papo, os jovens atores negros Bia Sabiá, Eder dos Anjos, Renan Vinícius e Yasmin Olí, que trabalham no Maracujá Laboratório de Artes e desenvolvem diversas outras ações na área cultural, irão debater sobre sua própria trajetória artística e a importância da representatividade negra na área cultural para a quebra de preconceitos.

 

22/11 (apresentação vinculada ao Teatro Flávio Império)

11h – vídeo do espetáculo Nerina – a ovelha negra

11h50 – bate papo com o diretor Sidnei Caria

Local de transmissão: https://www.facebook.com/maracujaartes

                                    https://www.youtube.com/c/maracujalaboratoriodeartes

                                  

Sobre o diretor:

 

Diretor e adaptador do espetáculo Nerina – a ovelha negra, Sidnei Caria tem mais de 35 anos de carreira, sendo a maior parte deles voltado ao teatro para todas as idades. Participou do grupo XPTO como ator de 1985 a 2002. Trabalhou com diretores renomados como Roberto Lage, Celso Frateschi, Maria Alice Vergueiro, Cristiane Paoli-Quito, Ariela Goldman, Cris Lozano, Maria Thais, Hugo Possolo. Foi ator, diretor e diretor de arte na cia Pia Fraus (2005 a 2011). Participou do FITO – Festival de Teatro de Objetos em várias capitais brasileiras. É um dos protagonistas da série infantil “Que monstro te mordeu?”, de Cao Hamburger. Dirige o Maracujá Laboratório de Artes, grupo que fundou em 2005, onde desenvolve pesquisas e trabalhos em dramaturgia, direção, criação e confecção de bonecos, adereços, figurinos e cenários dos espetáculos do grupo. Recebeu prêmios APCA, FEMSA, PANAMCO, Mambembe, entre outros, por diversos espetáculos em sua carreira como ator, diretor, cenógrafo e dramaturgo.

 

22/11 (apresentação vinculada ao Centro de Culturas Negras)

16h – vídeo do espetáculo Nerina – a ovelha negra

16h50 – bate papo: O futuro dos baobás – a representatividade negra no teatro para crianças e jovens.

Convidados: Jefferson Brito e Rita Teles, da Cia Colhendo Contos e Diáspora Negra, com o ator Eder dos Anjos, do Coletivo dos Anjos e Maracujá Laboratório de Artes, realizando a mediação.

Local de transmissão: https://www.facebook.com/maracujaartes

                                    https://www.youtube.com/c/maracujalaboratoriodeartes

                                  

 

Sobre a Cia Colhendo Contos e Diáspora Negra

A Cia. Colhendo Contos e Diáspora Negra nasceu em 2016 da união de amigos atores, profissionais da arte educação. Primeiro nasceu o desejo de contar histórias, em seguida o desejo de resgatar os valores de suas origens acessando suas raízes e resgatando suas ancestralidades. A combinação desses desejos perpassou por vasta pesquisa, pelo acesso às suas memórias, pela riqueza e diversidade que o continente africano oferece e pela falta de representatividade e carência identificada em seus educandos. Da união desses elementos nasceu em 2016 o primeiro espetáculo: “Contando África em Contos” e em 2019, da parceria com o multiartista Salloma Salomão nasceu o último espetáculo: A Arca de Ébano. A proposta teatral transcendeu e nasceram os processos formativos para maior proximidade com o público, são oficinas de contação de histórias, musicalização, brincadeiras africanas, além do projeto “Leitura Interativa” que conta com a participação ativa do espectador. Em 2020 vislumbrando maior assertividade, deu-se andamento às pesquisas, desta vez com africanos residentes no Brasil, e nasce o projeto “África – Contos, Cantos e Encantos”, com a perspectiva de compreender a importância dessas presenças em diáspora, valorizando e cedendo lugar para o protagonismo dessas narrativas.

 

 

28/11 (apresentação vinculada ao Centro Cultural da Penha)

16h – vídeo do espetáculo Nerina – a ovelha negra

16h50 – bate papo com a diretora musical Fernanda Maia

Local de transmissão: https://www.facebook.com/maracujaartes

                                    https://www.youtube.com/c/maracujalaboratoriodeartes

                                  

 

Sobre a diretora musical:

 

Diretora, arranjadora musical, preparadora vocal e atriz. Bacharel em Música pela Universidade Federal da Paraíba. Foi diretora musical de diversos espetáculos, como Chaves – o musical, Carrossel – o Musical, É 20! As Folias do Século, Noite de Reis, Naked Boys Singing, Rádio a 2, Lamartine Babo, O Tambor e o Anjo, O Jovem Príncipe e a Verdade e L’illustre Molière. Ministra oficinas de preparação vocal para a premiada Cia. do Tijolo e inúmeras oficinas e workshops no estado de São Paulo e aulas particulares de canto para atores. Como diretora musical e preparadora vocal do Núcleo Experimental participou das seguintes montagens: R&J, Mojo, Senhora dos Afogados, Cândida, As Troianas - Vozes da Guerra, O Livro dos Monstros Guardados, Casa/Cabul, No Coração do Mundo, O Contrato, Bichado, Mormaço, Cabaret e o tal do mundo não se acabou, Universos, Nossa Classe, Ou Você Poderia Me Beijar, Preto no Branco, Urinal - O Musical, Ao Pé do Ouvido, O Senhor das Moscas e Lembro todo dia de você. Recebeu o Prêmio APCA 2017 pelo conjunto de sua obra como diretora musical, que incluiu o espetáculo Nerina – a ovelha negra.

 

29/11 (apresentação vinculada ao Centro Cultural da Penha)

16h – vídeo do espetáculo Nerina – a ovelha negra

16h50 – bate papo com o elenco do espetáculo Nerina – a ovelha negra: Bia Sabiá, Camila Ivo, Lucas Luciano, Piva Silva, Sidnei Caria, Silas Caria e Yasmin Olí.

Local de transmissão: https://www.facebook.com/maracujaartes

                                    https://www.youtube.com/c/maracujalaboratoriodeartes

                                  

 

No bate papo, elenco irá conversar sobre o processo de criação do espetáculo Nerina – a ovelha negra e de outros trabalhos do Maracujá Laboratório de Artes, na perspectiva do ator.

 

 

05/12 (apresentação vinculada ao Centro Cultural da Vila Formosa)

18h – vídeo do espetáculo Nerina – a ovelha negra

18h50 – bate papo com a iluminadora e cenógrafa Marisa Bentivegna

Local de transmissão: https://www.facebook.com/maracujaartes

                                    https://www.youtube.com/c/maracujalaboratoriodeartes

    https://www.facebook.com/ccvilaformosa

                                  

Sobre a convidada:

 

Iluminadora e cenógrafa paulistana, estreou no Teatro profissional em 1990. Formada na FAAP - em Publicidade e Propaganda e na Escola de Belas Artes de São Paulo no curso de Desenho Industrial. É integrante da Cia Hiato, dirigida por Leonardo Moreira, como cenógrafa e iluminadora, e no ano de 2015 teve um cenário criado para esta companhia para o espetáculo O JARDIM, selecionado para representar o Brasil na Quadrienal de Praga na República Tcheca. Também é integrante da Banda Mirim como diretora técnica, cenógrafa e iluminadora desde 2004. Tem ainda como parceiros de criação os diretores Cristiane Paoli Quito, Rafael Gomes e.Kiko Marques entre outros Atua em teatro, dança, exposições e shows musicais, tendo trabalhado em mais de 20 .países na última década. É cenógrafa convidada do Teatr Studio de Varsóvia Recebeu diversos prêmios individuais. Alguns deles: SHELL 1992 e APCA 1992 pela iluminação de O PARAÍSO PERDIDO do Teatro da Vertigem; SHELL 2010 pelo cenário de ESCURO da cia Hiato; SHELL 2011 pelo cenário de O JARDIM da Cia Hiato; APCA 2017 e Prêmio São Paulo 2017 pela cenografia e desenho de luz de Gagá, Buda e Skellig; APCA 2017 pela iluminação de Nerina - a ovelha negra.

 

06/12 (apresentação vinculada ao Centro Cultural da Vila Formosa)

18h – vídeo do espetáculo Nerina – a ovelha negra

18h50 – bate papo com os técnicos de som e luz do espetáculo Nerina – a ovelha negra: Aragonesco, Fernando Cavalcante, Lays Somogyi, Mauricio Mateus e Rosely Marttinely.

Local de transmissão: https://www.facebook.com/maracujaartes

                                    https://www.youtube.com/c/maracujalaboratoriodeartes

    https://www.facebook.com/ccvilaformosa

                                  

 

No bate papo, os técnicos irão conversar sobre aspectos relacionados ao trabalho na técnica teatral e os problemas enfrentados pela categoria durante a pandemia.

 

12/12 (apresentação vinculada ao Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso)

16h – vídeo do espetáculo Nerina – a ovelha negra

16h50 – bate papo: Processos de criação no teatro para todas as idades – com Anie Welter (Cia Noz de Teatro, Dança e Animação), Cris Lozano (Cia La Leche), Guto Togniazzolo (multiartista, atuante em vários grupos teatrais) e Jackie Obrigon (Cia Bendita)

Local de transmissão: https://www.facebook.com/maracujaartes

                                    https://www.youtube.com/c/maracujalaboratoriodeartes

 https://www.facebook.com/ccjuventude                                  

                                   

Sobre os convidados:

 

No bate papo os convidados, todos veteranos do teatro para todas as idades, irão debater sobre os processos criativos que desenvolvem em seus grupos, em espetáculos para crianças e jovens.

 

13/12 (apresentação vinculada ao Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso)

16h – vídeo do espetáculo Nerina – a ovelha negra

16h50 – bate papo com integrantes do MOTIJ (Movimento do Teatro para as Infâncias e Juventude): Gira de Oliveira, José Geraldo Rocha e Rodrigo Andrade .

Local de transmissão: https://www.facebook.com/maracujaartes

                                    https://www.youtube.com/c/maracujalaboratoriodeartes

                                    https://www.facebook.com/ccjuventude                                  

 

Sobre o MOTIJ:

O MOTIJ surgiu em fevereiro de 2018 com o intuito de inventariar e protocolar a história do teatro para as infâncias e juventudes da cidade de São Paulo. Considerando a vasta e rica produção voltada para esse público, a contribuição de sua diversidade estética, dramatúrgica e de modos de produção, é objetivo do movimento criar um espaço democrático para o compartilhamento de ideias entre os coletivos que atuam na produção do teatro para crianças e jovens da cidade.

Lançamento CD Nerina nos streamings de música

17/09/2021

No link: linktr.ee/albumnerina

Gravação e lançamento CD

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/12
LIVES BATE PAPO E APRESENTAÇÕES

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/10

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/7
Entrega Kits espetáculo
Clipping
 
Folha de SP - Veja cenas da peça
Teatro em Escala
Sopa Cultural
São Paulo com Crianças
Sampa com Crianças
Passeio Kids
O Beijo
Alpha FM
Muralzinho de Ideias
Malinha Pronta
Mala Cultural
Folha de São Paulo
dicas da dinda_facebook_colocar foto bia nerina_page-0001
Crazy Kiwy
Conta uma história
Blog Line Up
Backstage Musical
Backstage Musical
Arte Cult
Acesso Cultural