Maracujá Laboratório de Artes
Projeto: Circulação Nerina - a ovelha negra

O projeto “Circulação Nerina, a ovelha negra” previa inicialmente uma circulação do premiado espetáculo “Nerina – a ovelha negra”, do grupo Maracujá Laboratório de Artes, por 30 CEUs (Centros Unificados de Ensino) da cidade de São Paulo, além de dez apresentações em cinco Teatros Distritais da capital, e uma oficina “Laboratório de Artes Maracujá”, com 15 horas de duração, onde os 30 participantes teriam a oportunidade de experimentar presencialmente as diversas técnicas pesquisadas pela companhia. Complementavam as apresentações do espetáculo a realização de bate papos com o público, onde o elenco poderia conversar diretamente com a plateia, detalhando aspectos do processo de criação, temática, estética, entre outros assuntos. Todas as ações, presenciais, seriam gratuitas.

No entanto, a quarentena imposta pela pandemia do COVID -19 mudou todos os rumos que haviam sido traçados em 2019, e obrigou o grupo a adaptar todas as ações para o formato online.

E é essa a proposta que o grupo começa a realizar agora:

Serão 10 apresentações do vídeo do espetáculo “Nerina – a ovelha negra”, vinculadas a programação de Centros Culturais da cidade de São Paulo, seguidas por bate papos em formato live que trarão diversos convidados, como o autor e ilustrador Michele Iacocca (autor do livro em que foi baseado o musical Nerina – a ovelha negra”, a diretora musical Fernanda Maia (que fez a direção musical da peça), a cenógrafa e iluminadora Marisa Bentivegna (iluminadora da peça), o diretor da peça e do grupo Maracujá Laboratório de Artes, Sidnei Caria, o elenco do espetáculo, os técnicos, entre vários outros participantes, que irão discutir temas diversos ligados à peça. Esta ação iniciará ainda em 2020.

Além disso, o projeto conta com a produção de um CD com a trilha sonora da peça (que já está em fase de gravação), que será distribuída nos streamings de música mais populares.

Para alcançar o público dos CEUs, o projeto optou por uma abordagem que irá ampliar sua ação inicial: ao invés de atender apenas 30 CEUs com apresentações gratuitas do espetáculo, agora serão atendidas mais de 800 escolas públicas da capital, através da entrega de “kits espetáculo composto por: CD da trilha da peça (com encarte com letras de música), DVD com o espetáculo na íntegra e uma publicação criada especialmente para fazer a mediação pedagógica com os professores e alunos, apresentando assuntos que são recorrentes nas conversas com o público infantil após as apresentações, como a história do grupo, quais são as técnicas usadas na peça, como a história foi adaptada, quem fez parte do processo, como foram (e quanto tempo duraram) os ensaios, como foram compostas as músicas, de onde vem a história. Fotos, desenhos, curadoria de livros e publicações sobre teatro, racismo, cultura afro-brasileira, referências musicais usadas para composição de letras e arranjos. E, complementando o material, propostas pedagógicas de atividades inspiradas no espetáculo (teatro de animação, música, teatro físico, brincadeiras com câmeras, luz, entre outras). O CD com a trilha já é uma demanda de instituições, pais e crianças desde a estreia da peça e suas músicas podem ser trabalhadas isoladamente em atividades pedagógicas. Já o DVD com a peça na íntegra propicia a exibição do trabalho aos alunos e a possibilidade do debate sobre o racismo, a linguagem teatral, técnicas, o processo de adaptação do livro para o teatro (que, é importante reforçar, está disponível em diversas instituições educacionais), entre outros assuntos. Este material poderá ser utilizado pelos professores quando e como preferirem, e poderá ser usufruído por muitos anos, ampliando o público que poderá ter acesso a ele. A previsão de entrega deste material às escolas é fevereiro de 2021.

Por fim, a oficina “Laboratório de Artes Maracujá” será realizada de 09 de novembro a 11 de dezembro, segundas e sextas das 19h às 20h30 através da plataforma Google Meet. A cada semana serão desenvolvidas diferentes técnicas experimentadas pela companhia em seus 15 anos de atividades, como o teatro de sombras, stop motion, confecção de bonecos com sobras de materiais e o live animation com puppet toys (uma técnica onde bonecos em miniatura são manipulados em frente às câmeras, que transmitem o resultado ao público, como uma espécie de cinema feito ao vivo, na hora da apresentação). As inscrições se iniciam em 19 de outubro.

Gravação CD

1/11